O Mangue de Pedra é uma área com um alto valor científico, cultural e turístico. Este manguezal destaca-se pela raridade, pois desenvolve-se sobre substrato rochoso e sem a presença de rios para aporte de água doce. A água doce que abastece o mangue é água subterrânea do Aquífero Mangue de Pedra, proveniente da infiltração das chuvas na área da Rasa e do Arpoador da Rasa. Este lençol d´água flui pelos cascalhos, areias e lamas que vemos nas encostas. Por isso não se pode poluir os reservatórios subterrâneos de água e nem tão pouco explorá-los para quaisquer outros fins que se queira, também se faz necessário preservar as áreas remanescentes de mata atlântica do entorno do mangue, pois sem a vegetação presente no local as aguas de chuva não infiltram no solo. A especulação imobiliária é um dos fatores de risco que ameaçam a sobrevivência desse ecossistema pois degradam a vegetação e desgastam o solo. Por se tratar de uma biota toda interligada, outra grande preocupação é que por conta da interferência humana a pesca no entorno do mangue seja afetada, pois além do manguezal ser um berçário de vida marinha é o lar de espécies exóticas de peixes e cetáceos marinhos.

O local é um refúgio para diversos animais, servindo de espaço para reprodução e alimentação, o que corrobora a urgência de sua preservação, podemos observar que o ecossistema do Mangue de Pedra é único, e que necessita de toda atenção por parte do poder público, das cidades vizinhas e da sociedade como um todo, a melhor forma de conscientizarmos a geração atual e as futuras da importância do Mangue de Pedra é trabalharmos com os jovens, pois estes, são com certeza a melhor forma de transmissão do conhecimento, pois estão sempre antenados nas novidades.

Consideramos de vital importância não poluirmos o reservatório subterrâneo, não desmatarmos o entorno do Mangue para construções irregulares, para que dessa maneira possamos também garantir uma fauna marinha sustentável e possamos garantir bons peixes para futuras gerações. Por todos os motivos expostos é que vemos a real e importante necessidade de preservar este bioma singular, que com toda certeza merece ser observado pelos nossos filhos e netos.


Fabiano Brum
Fabiano Brum

Fabiano Brum é Biólogo formado pela Faculdade da Região dos Lagos – FERLAGOS

Deixe uma resposta