No nosso primeiro encontro, quero falar sobre um dos períodos de maior aprendizagem em meu trabalho como professora. Foram mais de dez anos dedicados à Educação de Jovens e Adultos (EJA). No cenário da educação brasileira, a Educação de Jovens e Adultos floresce e refloresce de diferentes formas.

Trabalhar com a EJA é o maior aprendizado na vida de qualquer Educador. A troca de conhecimento entre aluno e professor é única. É um misto de sabedoria de vida, descobertas, curiosidades e uso da aprendizagem na prática, na vida real. Como aprendi com meus alunos! Muitos deles, com muito mais experiência de vida do que eu. Na EJA todos os dias são dias de exercer a cidadania.

Na aprendizagem dos alunos tive a oportunidade de enxergar resultados positivos que impactaram e transformaram a vida de meus alunos.  Lutar pelo seu direito como consumidor, conseguir um emprego, ler e entender um documento. Essas e muitas outras coisas aconteceram com meus alunos na EJA, mas creio que a mais impactante em todos eles, tenha sido sair da condição de analfabeto.

Mas o trabalho com a EJA, apesar de maravilhoso e gratificante, não é fácil. Manter os alunos em sala, motivados, sem evasão, é uma tarefa das mais difíceis e que exige um bom planejamento do professor. Não dá para usar a mesma abordagem pedagógica e as mesmas temáticas das crianças. É preciso explorar temas significativos, que façam parte da vida dos alunos, que tenham sentido para eles, para que eles tenham mais interesse em participar das aulas.  Sempre gostei muito de trabalhar com atividades que fazem parte do cotidiano deles. Folhetos de supermercados, revistas, jornais, rendem boas situações para aprendizagem matemática e de outras disciplinas. A Educação de Jovens e Adultos no Brasil, tem uma educação muito mais social que a educação regular!


Lúcia Pereira Policarpo

Licenciada em Pedagogia (Supervisão Escolar). Pós-Graduação com especialização em Orientação Educacional. Pós-Graduação em Educação de Jovens e Adultos (cursando).

Deixe uma resposta